YOGA. Mas afinal o que é isso?

Matsyasana, postura do peixe. Foto: Instituto União.

Há tempos estou querendo escrever sobre Yoga, mas este é um tema tão nobre e completo que até então não tive coragem. Esta semana senti que era o momento de dar umas pinceladas sobre a minha experiência com Yoga. Talvez, o que tenha finalmente me encorajado, foi o encerramento do primeiro módulo do Curso de Formação em Yoga que estou fazendo na UFSC.

Shiva em posição de lótus

É claro que não tenho como definir o Yoga em alguns parágrafos. E eu nem pretendo desenvolver aqui algum tratado, muito menos transcrever os textos antigos.  Talvez seja mais fácil dizer o que o Yoga NÃO É. E o primeiro item é: Yoga não é religião. Muitas pessoas fazem esta associação ao ver os praticantes de Yoga entoando o Om com as mãos unidas em posição de oração, ou cantando algum Mantra, que pode lembrar cânticos religiosos.

Parsvakonasana: postura do ângulo estendido para o lado.

Outra coisa que o Yoga não é: uma prática esportiva. As aulas de Yoga, como estamos acostumados a ver nas academias, são uma pequena parte, onde os exercícios  recebem o nome de Ásanas (ou posturas). Estes exercícios são um caminho para o conhecimento do nosso próprio corpo e uma forma de podermos manter uma conexão equilibrada entre corpo, respiração e mente. Além das posturas que trabalham o corpo físico, o Yoga envolve outros diferentes aspectos como a dinâmica energética, os sentimentos, as emoções, os pensamentos, a ética, o desapego, a não violência e o respeito ao meio ambiente. Complicado isso né?

Os chakras: sete centros de energia do corpo humano.

Após alguns anos de prática de Yoga, percebo que entendi um pouco sobre esse vai-e-vem de emoções ao qual o ser humano é colocado à prova. A vida exige de nós uma busca de equilíbrio diária e incessante . Em alguns momentos precisamos de mais vigor físico, em outros precisamos de mais tranquilidade. Em algumas situações precisamos ser mais pró-ativos, para reagir diante dos problemas e, em outras situações, precisamos de aceitação e tolerância, para vivermos bem diante daquilo que não podemos mudar.

Agora sim vou dizer o que o Yoga é: um caminho, um apoio.

Por hora é isso. Espero que tenha sido um bom começo. Namastê.

Letícia Weigert
O texto acima é de inteira responsabilidade de Letícia Weigert, não expressando necessariamente a opinião do Portal do Rancho.

Posts Relacionados

Deixe seu comentário » ()