A Festa se foi, ficam as sugestões!

A Festa do Morango, mais uma vez reafirmou a sua identidade. Uma festa de envolvimento comunitário, que valoriza o autêntico e original produto rancho-queimadense.

Eu, enquanto colunista deste Portal do Rancho e membro da comunidade de Taquaras e da Associação Comunitária do Distrito de Taquaras, orgulho-me em poder compartilhar com vocês das sugestões e dos comentários que recebi por estes dias que antecederam e durante os três dias que se realizou a vigésima edição da festa do Morango. Muitos também foram os e-mails recebidos nessa semana que sucedeu o evento.

As principais reclamações são relativas à falta de estacionamento; banheiros inadequados; falta de lixeiras; ausência de caixas para fichas, o que gerava muitas filas; falta de pessoas que informassem sobre a programação; mau-gosto na escolha das bandas e a ausência do chope, uma vez que se denomina “festa típica alemã”.

Quanto ao último item, eu mesmo já questionei inúmeras vezes, com base em contatos com outros órgãos culturais que eu estabeleço, que um dos grandes erros da Festa do Morango é a ausência de chope e de uma culinária típica alemã.

Alguns comentários sugeriram que os espetáculos Noite Santa de Natal e Tropeada a Belém, ambos elogiadíssimos, apenas necessitam de uma arquibancada coberta para acomodar o público, já que o espetáculo é à noite (geralmente há a incidência de garoa), e para garantir a segurança dos espectadores durante a chegada dos cavaleiros. Outra sugestão é a projeção dos espetáculos em telões para que todos possam visualizar melhor. Também a iluminação do Parque do Morango foi criticada por alguns leitores.

Priscila Méri Hugen e Kathiane Weiss, madrinhas da 20ª Festa do Morango

Houve reclamações quanto ao horário tardio destes espetáculos. Uma sugestão seria a de se ter outros atrativos antes e que o parque já estivesse em completo funcionamento o que tornaria a noite mais atrativa. Outros criticaram que ao término do espetáculo o parque simplesmente não oferecia nenhuma opção de lazer.

Já ao sábado, muitas reclamações quanto à falta de apresentações culturais – bandas, grupos folclóricos e corais. Outra sugestão que deixo, a exemplo de outras festas, que tenho visitado, observado e comparado, é a criação de um Palco Cultural junto à entrada do Parque do Morango: o visitante ao entrar no parque seria brindado com uma variedade de manifestações artísticas, que seriam organizadas e divulgadas anteriormente, em um cartaz com a programação de todos os dias de festa. Poderiam se apresentar grupos folclóricos, bandas musicais, grupos de cantos, grupos de teatro, entre outros.

A ideia de um Palco Cultural não seria uma má-ideia, uma vez que a cada ano as apresentações ocorrem sem local fixo: um ano no gramado ao sol, outro sob uma lona sem público, o que nos deixa, enquanto artistas, entristecidos.

Vale lembrar que neste ano recebemos a participação de um grupo de danças germânicas do Estado de São Paulo, porém além de dois colunistas deste Portal, prestigiaram sua brilhante apresentação nada mais que vinte pessoas.

Outros e-mails reclamavam da falta de morango que ocorreu pelo domingo à tarde (foi até comentário da rede social Twitter). Os organizadores da festa devem estar preparados para que não faltem morangos, nem comidas e bebidas durante os três dias.

Por falar em comida, muitas reclamações foram acerca das filas que se formaram nos caixas, no almoço colonial e no churrasco, além de reclamarem do aspecto nada agradável com que os alimentos eram manipulados e servidos.

A Festa do Morango, mesmo com todos esses aspectos críticos, é o maior evento do município. Graças a ela é que o povo daqui se orgulha do pertencimento, da Identidade que hoje possui. A Festa do Morango deu dignidade ao agricultor, revelou talentos e elevou a qualidade de vida de uma população. Deu o título de Capital Catarinense do Morango e de Destino Indutor de Turismo ao município. Poder público, não seja omisso! A Festa do Morango, inclusive, foi o mote que elegeu um prefeito! Governantes, tenham orgulho do legado que a Festa do Morango representa e sejam políticos atuantes, ajudando a viabilizar essa festa que é o segredo do sucesso turístico que esse município hoje representa.

Durante o período que antecedeu a Festa, este Portal de notícias bateu seu recorde de visualizações e o blog por mim criado para o evento superou em cinquenta por cento a expectativa de visitas que esperávamos obter! Somando o site do Portal do Rancho mais o blog da festa, alcançamos a marca de mais de dez mil visitas!

Vale lembrar que a essência de festa, que se caracteriza pelo envolvimento comunitário, deve andar junto ao profissionalismo que a Festa do Morango pede: o que falta à festa é profissionalizar-se! O público está mais crítico e precisamos evoluir junto! Deixo a dica para que a Associação Comunitária do Distrito de Taquaras e a Comissão Organizadora visitem outros eventos como a Festa Pomerana em Pomerode, a Oktoberfest em Blumenau, a Oktobertanz em São Pedro de Alcântara e outras festas do gênero, cujos eventos primam pela organização e pelo profissionalismo.

Parabéns, povo de Taquaras, parabéns Associação Comunitária do Distrito de Taquaras e parabéns Comissão Organizadora! E que venham mais vinte festas! É isso!

Jonei Bauer
O texto acima é de inteira responsabilidade de Jonei Bauer, não expressando necessariamente a opinião do Portal do Rancho. Saiba mais sobre o autor.

Posts Relacionados

Deixe seu comentário » ()