Rancho Queimado: muito mais que turismo

Rancho Queimado: muito mais que turismo

Muito se tem falado e divulgado sobre Rancho Queimado e região. Nossas belezas ímpares estampam os sites, folhetos, encartes, revistas e livros. A cidade é bem divulgada por todos que aqui moram e visitam, pelas redes sociais na internet. Numa breve consulta podemos constatar o verdadeiramente dito. Tem no seu trade turístico exemplos para todo o Brasil.

Todavia, acredito que não podemos nos cegar diante de problemas que constatamos por cá.  Há muito pra se fazer. Temos o potencial, mas falta-nos por muitas vezes a perspicácia, a sensibilidade e a sensatez. Nossos eventos são por vezes bem divulgados; faltam-lhes o profissionalismo. E esse é consequência da valorização. Devemos, antes de tudo, valorizar aquilo que é nosso, como mesmo propôs a Festa do Morango: frear o êxodo rural. Em parte isso surtiu efeito.  Eis o mote: e o êxodo cultural, artístico e intelectual? Esse se esvaiu de maneira lamentável.

Como que uma cidade pretende ser um referencial turístico se não tem fomentação disso à sociedade?

A tal “germanidade” poderia ser trabalhada com aulas de alemão, com oficinas sobre hábitos e costumes dessa etnia; não temos incentivo nenhum para que se construa casas em estilo enxaimel e afins (e tivemos um grande crescimento de construções nesses últimos anos). A própria Festa do Morango, que se diz alemã, não é. Faltam músicas, vestimentas e comidas típicas.

O “tropeirismo” é deturpado ao ser mesclado e ofuscado pelo “gauchismo”. Ambos distintos e dissonantes, precisam ser reavaliados nas suas interpretações e  ressignificações. Os tropeiros mais os alemães e os bugres que aqui já viviam construíram o legado desse naco de terra, tão encantadora no Sul do Brasil. As três etnias precisam ser compreendidas, internalizadas e valorizadas a fim de vivificá-las no nosso cotidiano reapresentado a todos a nossa verdadeira Identidade. Voltemo-nos à origem, essência.

O poder público precisa valorizar e ajudar a fomentar ações que de fato desenvolvam o turismo de Rancho Queimado, que não apenas de belezas sobrevive. Antes que feneça… A cidade necessita de um Arquivo Histórico; precisa de um Museu e precisa de tantos outros implementos que disseminem a pesquisa. O turismo precisa ser compreendido como um fato social.

A cidade precisa de acessibilidade. De que adianta divulgar fotos belíssimas, se não há como chegar em tais atrativos? O município precisa contar com a orientação de um profissional paisagista, que oriente aos munícipes sobre a ornamentação de seus jardins. São tantos os exemplos que podemos listar.

Construir uma Identidade, fomentar a cultura local e valorizar o sentimento de pertença tem sido o principal objetivo deste Portal. Desde 2011 os textos aqui postados compartilham as ideias e disseminam ações, que enaltecem o povo daqui e a nossa amada Rancho Queimado. Às vezes, mal compreendido, fomos alvo de críticas. O nosso objetivo é apenas o de bendizer. Mesmo trabalhando na marginalidade o que pretendemos, sempre, foi fazer o bem para  Rancho Queimado.

Um novo ano. Um novo tempo. Nova gestão. Votos de renovação e de revalorização. Bom 2013 a todos e bem-vindos ao Portal do Rancho. É isso!

 

 

Jonei Bauer
O texto acima é de inteira responsabilidade de Jonei Bauer, não expressando necessariamente a opinião do Portal do Rancho. Saiba mais sobre o autor.

Posts Relacionados

Deixe seu comentário » ()