Um Lugar Para Conhecer: Rota das Cachoeiras, em Corupá/SC

Um Lugar Para Conhecer: Rota das Cachoeiras, em Corupá/SC

Minha história com a cidade de Corupá, a Capital Catarinense da Banana e das Plantas Ornamentais começou em maio 2013, quando fui convidado para desenvolver a nova exposição do Museu Irmão Luiz Godofredo Gartner, o museu mais antigo de Santa Catarina, criado em 1933 e mantido pela Congregação do Sagrado Coração de Jesus. Ao longo daquele projeto, fui me identificando com a comunidade, abraçando e sendo abraçado por todos. Criei vínculos e laços afetivos que levo comigo sempre. João Vitor, meu pequeno afilhado, e Roseli Siewert, minha amiga-irmã, são as provas dessa história.

Aos poucos fui descobrindo a cidade e percebendo toda a sua vocação turística. Meu trabalho já havia transposto ao Museu Irmão Luiz Godofredo Gartner – que hoje tem uma exposição referenciada entre as melhores, transformando-se em objeto de estudos em expografia, cursos de museologia, design e arquitetura, entre outros. Além da exposição, descobri as pessoas de Corupá e o seu modus vivendi. Descobri, também, a Rota das Cachoeiras, um parque e reserva ambiental (RPPN), Patrimônio Natural e Paisagístico.

Rota das Cachoeiras: sinta essa emoção

A Rota das Cachoeiras está inserida na Reserva Emílio Fiorentino Battistella (RPPN) e está inserida em um dos últimos remanescentes da Floresta Tropical Atlântica de Santa Catarina. A reserva é procurada principalmente pela beleza cênica de suas catorze cachoeiras, as quais podem ser visitadas pela caminhada em trilhas bem sinalizadas e com boa infra-estrutura. Ao logo dos quase 3.000 metros da trilha, o visitante contará com corrimões, mirantes, pontes pênsis, abrigos para descanso, entre outros. Trata-se de uma trilha que apresenta trechos com grau de dificuldade variada, entre fácil, médio e difícil, contudo, quem dispor de um dia inteiro para a aventura, vence a trilha. A recompensa é de tirar o folego! A 14ª cachoeira, denominada por Salto Grande, é a maior cachoeira de Santa Catarina, com mais de 125 metros.

A trilha até o Salto Grande, a 14ª cachoeira, exige um dose de fôlego e leva tempo. Todavia, quando estamos num lugar desses o que menos importa é o tempo, né? Fizemos a trilha com o João Vitor, que curtiu cada cachoeira que explorou.

Um detalhe bacana da Rota das Cachoeiras é a acessibilidade. Os cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção podem fazer parte do percurso, em passarelas adaptadas. O trajeto também possui bastante áreas para descanso e banheiros. Deve-se atentar as sinalizações, respeitando as regras do local, conscientizando-se de que se trata de uma Reserva Natural.

Para quem não tiver coragem ou disposição de visitar todas as catorze cachoeiras (o que seria uma pena!), as distâncias das cachoeiras desde o início da trilha são:

  • 1º Cachoeira do Suspiro – 100m
  • 2º Cachoeira Banheira – 400m
  • 3º Cachoeira Três Patamares – 600m
  • 4º Cacheira Pousada do Café – 800m
  • 5º Cachoeira Repouso – 950m
  • 6º Cachoeira Remanso Grande – 1100m
  • 7º e 8º Cachoeiras Confluência – 1300m
  • 9º Cachoeira Corredeiras – 1400m
  • 10º Cachoeira Tombo – 1500m
  • 11º Cachoeira Palmito – 1600m
  • 12º Cachoeira Surpresa – 1700m
  • 13º Cachoeira Boqueirão – (interditada)
  • 14º Cachoeira Salto Grande – 2900m

Sobre a Rota das Cachoeiras

Para chegar a Reserva é necessário percorrer uma estrada de cascalho de 14 Km, a partir do trevo da cidade de Corupá. Existem sinalizações indicando “Rota das Cachoeiras”, durante todo o percurso.

Os ingressos para a visitação podem ser adquiridos em pontos de venda da cidade, como: postos de gasolina, hoteis, panificadora e mercados, todos devidamente identificados com a sinalização “ingressos para a Rota das Cachoeiras”. Para maiores informações ligue para (47) 3375.2232

A Reserva Battistella funciona todos os dias da semana, tendo o horário das 8h às 18h para visita, sendo, porém definido o horário das 15h como o limite para a subida de visita além da 4ª cachoeira, pois a caminhada total pode levar mais de três horas. O melhor período para visitação é o outono e o inverno, em dias de sol, quando o calor é menos intenso, e as trilhas estão menos úmidas.

Jonei Bauer
O texto acima é de inteira responsabilidade de Jonei Bauer, não expressando necessariamente a opinião do Portal do Rancho. Saiba mais sobre o autor.

Deixe seu comentário » ()